Vovó Coruja

Vovó Coruja

unnamed (24)A origem de uma avó são duas: a de ser a “mãe” ou de ser a “sogra”. Já pensaram nisso? O que fazer quando os netos chegam? Complicado para alguns? Acredito que não.

A Vovó é uma mulher inteligente ou, pelo menos deveria ser. Eu sou a mãe ou sou a sogra? Ah! Sou simplesmente a Vovó, cheia de amor pra dar e receber de coração aberto, todos os
netos que aqui estão ou ainda vão chegar.

Em certa ocasião ouvi de um doutor especialista em ”VIDA” que, o bebê até dois anos aproximadamente, carrega em todas as suas células a química e estrutura molecular iguais as da sua mãe, daquela que o gerou, daí a grande sintonia que eles têm entre si… As emoções expressadas pelo bebê, nestes dois primeiros anos, recebem uma forte influência gerada pelas ações e sentimento materno.

Neste momento, meus estudos, minhas crenças e vivência, me fazem crer que esta “ligação” entre mãe e filho acontece para além da biologia. Somos todos, influenciados pelo meio em que vivemos. Por isso o cuidado com ele.

Então… Se a mamãe estiver calma, com certeza o neném terá grande probabilidade de estar calmo também. Se mamãe estiver nervosa, ou triste, ou insegura e cansada… O que sentirá este bebê? Pense nisso queridas vovós… Somos inteligentes e com certeza estaremos ao lado dessa mamãe, como “parceiras”, possibilitando segurança, carinho e muito amor. Mesmo que de longe, via telefone, e-mail, mensagens e até em pensamento!!!

Alguns cuidados são necessários para um bom relacionamento: nada de competição, dar espaço para que papai e mamãe tenham tempo sozinhos com o filhote e principalmente identificar a hora de “tirarmos o time de campo”.

Acreditar sempre que todos são capazes de plantar e colher. Nossa experiência de vida e bom senso garantirão uma das melhores e mais belas jornadas de nossa vida:

Ser Avó.

Indira V. Mamede

Encíclica Laudato Sí

Encíclica Laudato Sí

Hoje não podemos desconhecer que uma verdadeira abordagem ecológica sempre se torna uma abordagem social que deve integrar a justiça nas discussões sobre o ambiente para escutar tanto o grito da Terra quanto o grito dos pobres. Papa Francisco

Papa

Na última quinta-feira (18/06/2015) nosso Papa Francisco mais uma vez nos presenteou com suas palavras e ensinamentos com a encíclica Laudato Si (Louvado Seja) que aborda a pobreza e a degradação ambiental como fundamentais para a crise que acontece no mundo. Nos faz repensar conceitos de amor ao próximo, cuidado com a casa em que vivemos, valores básicos de caráter, a obtenção de benefícios próprios em detrimento de outros seres, o uso da tecnociência como aliada às ações humanas contra os problemas ecológicos. Joga a responsabilidade para dentro de cada um de nós e também nos desafia a buscar uma solução urgente para uma existência com mais amor à nossa mãe Terra frente à gravidade que nos encontramos e que a cada ano vivenciamos catástrofes naturais em reposta a tanto desrespeito.

O mundo que teremos para os próximos 10 anos não será o mesmo de hoje, como também não o é qual a década passada. Nossos filhos serão privados de belezas naturais imensuráveis e recursos fundamentais como a própria água já se tornam escassos devido à nossa própria avareza e descaso.

Nosso Papa fez um posicionamento de extrema importância independente de qual religião os ouvintes dessas palavras alcancem. Fez-se simples, fez-se parte integrante do todo como deve ser aquele nos orienta.