O que fazer quando o seu neném nasceu com a cabecinha um pouco torta?

 

O nome para essa assimetria craniana é a Plagiocefalia Posicional e estimativas indicam que 12 entre 100 bebês nascem ou podem desenvolver quer pelo posicionamento ultra-uterino, complicação do parto ou mais comumente na gestação geminiana. Mas calma mamãe, não há dano cerebral e desses 12 apenas 3% necessitam de intervenções cirúrgicas ou não. A correção é realizada até os 15 meses pois as suturas ou moleiras ainda estão abertas e permitem seu reposicionamento. Passado este período elas começam a fechar e aos 24 meses este processo está completo, não permitindo a reversão da assimetria que pode ocasionar problemas no fechamento da mandíbula, desalinhamento de olhos e orelhas, e refletir psicosocialmente.

Medidas corretivas da Plagiocefalia Posicional:

  •  A própria mamãe pode realizar uma observação de diversos ângulos da cabeça de seu neném para verificar o desenvolvimento externo;
  • Caso haja alguma assimetria inicie de imediato o reposicionamento do seu bebê na hora de dormir, de mamar, do banho de modo que o lado da cabeça com a deformidade não fique apoiado;
  • Utilize o auxílio dos rolinhos e travesseiros para que seu bebê não retorne à posição;
  • Posicione o berço de forma que ele receba estímulos visuais de vários pontos;
  • Não deixe o bebê muito tempo na cadeirinha de balanço ou bebê conforto, pois estes limitam sua movimentação e as chances de apoiarem o mesmo ponto por muito tempo são elevadas;
  • Sempre que possível e sob supervisão, coloque seu neném para brincar de barriga para baixo, pois libera o apoio da cabeça e também fortalece os músculos do pescoço;
  • Pergunte ao pediatra se o bebê possui torcicolo congênito;

De acordo com o grau de assimetria e parecer médico, pode-se utilizar uma órtese que nada mais é que um capacete sob medida que irá auxiliar no tratamento.

Como-fazer-o-exame-da-Plagiocefalia-Posicional-em-casa

O tratamento tem duração média de 3 a 5 meses e exige um trabalho árduo de toda família pois a criança tende a direcionar seu posicionamento para a região assimétrica e o reposicionamento é fundamental para a correção da cabecinha do seu neném.

Dedicação e carinho extra é o que não falta no coração de qualquer mamãe! Então… mãos à obra que logo logo seu pequeno fica redondinho 😉 !

Fonte: www.guiadobebeuol.com.br